Você sabe o que é Tracoma?

Tracoma é uma infecção ocular que ocorre normalmente em ambos os olhos e afeta a conjuntiva e a córnea. É causada pela bactéria Chlamydia trachomatis, que também é responsável pela conjuntivite. O tracoma é uma doença ocular muito comum nos países subdesenvolvidos ou em regiões precárias, onde a falta de saneamento básico e aglomeração domiciliar facilitam a propagação da doença.

Em muitos casos o indivíduo pode não apresentar sintomas, mas é importante ficar atento se os olhos estiverem vermelhos, irritados, lacrimejando, com secreção mucopurulenta, coçando, com sensação de areia, inchados ou intolerantes à luz.

Sua transmissão ocorre por meio da secreção dos olhos com tracoma de uma pessoa para outra, principalmente em ambientes coletivos, como escolas e creches. Objetos contaminados, roupas de cama, lenços e toalhas também podem transmitir a bactéria.

A repetição das infecções provoca cicatrizes especialmente na conjuntiva que reveste a pálpebra superior, que a deformam. A evolução do quadro é marcada por complicações como o entrópio (margem da pálpebra voltada para dentro do olho), a triquíase (inversão dos cílios que tocam o globo ocular), a opacificação da córnea e a obstrução lacrimal. O atrito provocado por essas deformações pode produzir úlceras na córnea responsáveis pela perda progressiva da visão e cegueira.

O diagnóstico é clínico baseado nos sinais e sintomas. Deve ser levado em conta também se os locais onde vivem os pacientes são considerados áreas de risco para a doença. O tratamento com antibióticos de uso local ou por via oral, deve ser iniciado tão logo tenha sido feito o diagnóstico clínico, antes mesmo de saírem os resultados dos exames laboratoriais.

Em hipótese alguma, o acompanhamento médico pode ser suspenso. Ele deve ser mantido durante a fase ativa da doença e depois periodicamente até que seja constatada a cura definitiva do tracoma.

Tais cuidados são indispensáveis por dois motivos:
1) evitar as recorrências
2) controlar/interromper a cadeia de transmissão da bactéria.

Nesse sentido, as medidas profiláticas devem estender-se a todas as pessoas que entraram em contato com o portador da enfermidade, na própria casa ou nos ambientes que costumam frequentar.

Além do tratamento médico, é importante que o portador da doença e os não portadores façam uso de algumas recomendações médicas para prevenção. São elas:
• Não compartilhe objetos de uso pessoal, como toalhas e lenços;
• Lave sempre as mãos com bastante água e sabão;
• Evite coçar os olhos;
• Cuide da higiene pessoal e mantenha limpa a casa e o local de trabalho.

Comentários

comentários

Related posts